sábado, 1 de janeiro de 2011

Desejo



O meu desejo flui como flui o meu mais ímpeto animal contido
Contenho-me
Hesito-me permitir a sentir o teu olfato
Preemente!
Fogoso!
Picante!
Como em um tempero ao banquete das orgias.
Como...
Quando...
Nada
Como alguém que grita em gemidos mudos
Todo o gozo dos sentidos frívolos
Eu gritarei e emudecerei sozinha
Todo fluxo do desejo cálido

8 comentários:

diogo disse...

achei que faltou algo no poema, mas eu gostei, está no caminho certo e continue escrevendoo

BLOGUEIRO EXECUTIVO disse...

Poemas muito interessantes...

http://comentariosobrelivros.blogspot.com/ disse...

Voce escreve muito bem Poemas legais.

Visite meu blog, comente e cole seu link:

http://comentariosobrelivros.blogspot.com/

Si Caminada disse...

Gosto desse estilo de poema... é gostoso de ler.

Adorei seu blog.
Tem um contéudo ótimo.
Peço que comente e siga o meu =)

http://ocantinhodochico.blogspot.com/2011/01/untitle-d.html

Andrew Magalhães M. Santiago disse...

Poemas mexem com o imaginário das pessoas. Contudo, é um estilo que não atrai muito o público brasileiro. Uma grande pena!

Blog Perfeição Inexistente disse...

Pô, que sentimental, profundo, nao achei palavras pra descrever, sério ... ;O

enfiiim, adorei mesmo o blog =)
Siga-nos e comenta lá?
www.perfeitainexistencia.blogspot.com

Kennedy disse...

Lindos versos!!!
www.dehomemprahomen.blogspot.com
www.kennedyfonseca.blogspot.com
www.revolucionariourbano.blogspot.com
www.caminhodomedo.blogspot.com

Nati disse...

interessante, acho que as palavras se cruzaram e acabaram se completando, estarei por aqui sempre ;) http://www.pequenopiteco.blogspot.com/