quarta-feira, 27 de março de 2013

Perda


Eu sei que ele não voltará
como veio
neste início matutino
cheio de mau-humor
e resignação
Mas eu o quero
Quero aquele poema
que por um instante
iluminou minha nuca
meu rosto carrancudo
Quero aquele poema
que me fez rir
e chorar por dentro
Eu quero aquele poema
que veio do alto
e chafurdou na lama
de minha existência
oca e triste
Eu quero aquele poema
Aquele poema
Eu quero
Por favor
Volta
Eu quero.

2 comentários:

Angelo Augusto Paula disse...

O amor é sempre um poema. Mágicas são essas pessoas que conseguem transmutar da carne às palavras...

Lindo!!!

Guilherme Augusto disse...

e se o poema não vier, basta você escrever um novo :)