quinta-feira, 26 de maio de 2011

Regresso


Retornarei à terra do nascimento.
Voltarei ao castelo onde fui gerado.
Reverei os pisos azulados,
as paredes humildes, mas altaneiras.
Visitarei os bosques floridos,
as relvas esverdeadas daquele olhar.

Retornarei ao tempo perdido
e ouvirei a música que não parou de soar em meu peito,
embora há tanto tempo não a escute.
Cantarei, dançarei, alegre, bobo, feliz
por novamente sentir a brisa acariciar meus olhos dispersos.

Retornarei ao reino do adeus
e lá serei coroado por não ter sido rei.
Reencontararei as aves multicolores
que enfeitavam o céu azul intenso.
Relembrarei do azul do céu, sim, relembrarei.

Retornarei ao Azul infinito
e lá serei Infinito por ser azul.
Voltarei às nuvens brancas e chorarei nos riachos doces.
Sim! serei doce, enfim serei.
Mesmo depois de encontrar-me com o mar.

6 comentários:

Mac Muller ¹ disse...

Gostei muito do seu blog...
Esses poema é muito bom..
to seguindo ja.. Segue eu ai tbm
http://misintoso.blogspot.com/

Davi disse...

bonito poema. o mar é um ótimo tema.
grande abraço.

Victor Pagani disse...

Boa tarde,

Vim agradecer e retribuir a visita em meu blog. Aguardo sua visita!

Tenha um bom fim de semana!
Abrs

Victor

somosprogramas disse...

muito legal, gostei mesmo.

http://somosprogramas.blogspot.com/

Jádison Coelho disse...

Bem...sonhei esse sonho com vocÊ, quando voltar, quando souber quando voltar, me convida!

escarceu-pre-datado.blogspot.com

Robson Araújo disse...

belos versos

se possivel, visite meu blog

www.semente-terra.blgospot.com