domingo, 21 de fevereiro de 2016

Eu vi você





Ah, quando pensei que não havia o que esperar
Aconteceu
Quando julguei que o marasmo era meu lar
Apareceu
A luz do seu olhar
Ah, meu niilismo já perdia seu porquê
E assim meu pessimismo começava a esmaecer
Inocência
De amar sem fim
Transfigurado
Pela visão me entreguei
Eu vi você
E amei você
Até o amanhecer
Me reclinei
E repousei
No seu peito nu.

Nenhum comentário: